Archive for setembro \23\UTC 2015

A Primavera e suas expressões

23/09/2015

Primavera- Arcimboldo

Hoje, 23 de setembro de 2015, às  5:20h (horário de Brasília) temos o início da Primavera, a  estação das flores.

Para recebê-la, e reverenciá-la, recorro às artes. Cada artista procura retratar sua visão e suas percepções sobre as quatro estações. Inicialmente encontro expressões na pintura com Giuseppe Arcimboldo e Sandro Botticelli.

Na abertura desta postagem  temos a obra de Arcimboldo:  ” A Primavera”.

No  século XVI, Arcimboldo  utilizou imagens de flores, frutas e verduras para compor suas obras. Arcimboldo seria um ‘rebelde’ para o tempo em que viveu. Naquela época, as obras desse pintor italiano, eram consideradas “o fim do mundo” para muita gente.  Séculos depois, se reconheceu que seu estilo  faz conexões com o movimento surrealista.

 Ainda com  Arcimboldo, vejam como ele retratou a Flora:

Flora, de Arcimboldo

Alessandro di Mariano Filipepi, mais conhecido como: Sandro Botticelli, pintou cenas mitológicas, como “A Primavera” e “O Nascimento da Vênus”,  possivelmente a  mais célebre obra do Renascimento.

Vejamos a obra “A Primavera”:

primavera botticelli

Agora, “O Nascimento de Vênus”:

Sandro_Botticelli_046

 

Na pintura ‘O nascimento de Vênus’, Sandro Botticelli  representa a deusa Vênus que, segundo a mitologia greco – romana, retrata a deusa Vênus (Afrodite) emergindo das águas em uma concha, sendo empurrada para a margem por Zéfiro, o Vento Oeste, e recebendo, de uma Hora (as Horas eram as deusas das estações), um manto bordado de flores.

Lindas pinturas, não acham?

Ainda nas expressões artísticas e musicais, não poderia esquecer de outro italiano, Antonio Vivaldi e sua obra “As quatro estações”, com o movimento “A primavera”. Aqui, vamos ouvir uma interpretação inusitada (ou seria ousada?) com a Orquestra Paulistana de Viola Caipira.

Ouçam só que bárbaro!!

 

Saindo um pouco do clássico e ‘pulando’ para o popular, temos a canção “Primavera”,composição de: Cassiano e Sílvio Rochael, na voz do inesquecível  Tim Maia:

Para concluir esta postagem, trago alguns registros que fiz nos últimos dias pelos caminhos que percorro nas ruas de Sampa:

Manacá da Serra

Manacá da Serra

 

20150913_092024-1

Hibiscus

Orquídeas

Orquídeas

 

Uma linda e florida Primavera para todos!!

 

Super abraço!

 

Anúncios

Árvores e memórias no dia da Árvore

21/09/2015

Hoje,  dia 21 de setembro é o dia da Árvore. Precisamos, além de plantar, conservar as que temos. Os motivos, todos sabemos: o fundamental é a Vida, do Planeta e também a nossa.

Tenho  feito muitos registros fotográficos em minha  caminhada pela vida, muito embora eu não seja uma fotógrafa profissional,  amo muito a Fotografia .

Para começar, quero compartilhar um pequeno registro que fiz hoje pela manhã, ao ir para o trabalho.

De dentro do ônibus, na av. Francisco Matarazzo, ao lado do Parque da Água Branca, temos o Colégio Olga Ferraz. Dentro dele há uma frondoza mangueira que já está começando a dar o  seu delicioso.

 

20150921_095907

Mangueira em frente ao Colégio Olga Ferraz, na Av.Francisco Matarazzo. Foto: Margarete Barbosa

Fotografia aproximada da mangueira em frente ao Colégio Olga Ferraz, na Av.Francisco Matarazzo. Foto: Margarete Barbosa

Fotografia aproximada da mangueira em frente ao Colégio Olga Ferraz, na Av.Francisco Matarazzo. Foto: Margarete Barbosa

 O Colégio Olga Ferraz faz parte da minha história de vida, pois nele fui alfabetizada nos anos 70. Meus estudos foram  até a  2ª série (hoje seria o 3º ano). Na época, o colégio era da rede estadual e nos anos de 1990 passou para a rede particular.  Na época em que estudei, o colégio era da rede estadual e nos anos de 1990 ele passou para a rede particular.

Olhando a imagem da mangueira em frente da escola, lembrei que o grande educador Paulo Freire tem um livro chamado: “À sombra desta mangueira”, onde ele, por meio de sua visão de mundo e experiências, vai discorrer sobre Estar no mundo, estar com o mundo e com os outros, de forma a desenvolver uma compreensão do humano no e com o mundo. Em outras obras, Paulo Freire se refere à mangueira e à sua sombra sendo os locais onde teve inicio seu processo de alfabetização e leitura do mundo.

Seguindo para o trabalho, no bairro da Lapa, passo pela rua Duílio e me deparo com uma pequena jaqueira. Vejam só:

Jaqueira no bairro da Lapa. Fotografia: Margarete Barbosa

Jaqueira no bairro da Lapa    Fotografia: Margarete Barbosa

O que me chamou a atenção na jaqueira foi a placa: “Sorria, você está sendo filmado”. No primeiro momento achei engraçado, mas fiquei pensando que deveria ser um alerta para que as pessoas pudessem conservar e também saborear de seu  fruto suculento.

Estas duas árvores me levaram às minhas memórias de infância, no interior de Alagoas, em Anadia.  Lá, no pequeno sítio de minha avó, minha Mãe Maria, estive em contato com mangueiras, jaqueiras, cajueiros, umbuzeiros, dentre outras delícias que a Mãe Terra oferece.

Com estas imagens e memórias, retomo a escrita no meu Blog.

Um super abraço!

Margarete Barbosa