Canções brasileiras e japonesas

Canções brasileiras e canções japonesas

Recentemente, recebi  indicação do amigo Jarbas Novelino sobre um evento que acontecerá no  Museu de Arte de São Paulo – MASP.  A Fundação Japão, em parceria com o MASP, realizará um encontro na forma de concerto.  É o concerto: Canções Brasileiras e Canções Japonesas – Ensemble Mentemanuque.   A apresentação será gratuita,  no dia 11 de dezembro de 2011, às 15h, com o grupo musical Ensemble Mentemanuque. Este grupo vai nos presentear com 14 peças brasileiras e japonesas para voz, violão, viola caipira, piano, marimba e vibrafone. Pelo que se pode perceber, será um espetáculo!

Eu não conhecia o grupo, por isso busquei informações no site da Fundação Japão, e verifiquei que se trata de um grupo belíssimo, composto por músicos da mais alta competência, formação musical e acadêmica, pois são, inclusive, pesquisadores comprometidos com a qualidade artística.

O Ensemble Mentemanuque é um grupo de música de câmara que se dedica à divulgação da música brasileira contemporânea e a resgates histórico-musicológicos – numa relação indissociável entre composição, interpretação e pesquisa musical.   A formação que irá se apresentar no MASP será com a cantora lírica Yuka de Almeida Prado, Gustavo Costa,  no violão, viola caipira e arranjos, Rubens Ricciardi ao piano e Eliana Sulpício na percussão.

Minha curiosidade me levou a encontrar o site de Yuka de Almeida Prado. Percebi que esta bela soprano é quem faz a ponte Brasil-Japão, pois como ela  afirma:  “a diversidade cultural, o mosaico de povos e raças que compõem a nação brasileira é um forte elemento que promove a fusão de horizontes enriquecendo desta forma, a canção brasileira”. No site de Yuka podemos encontrar sua tese de doutoramento, cujo título é: A poética japonesa na canção brasileira.   É com sensibilidade, estética e rigor científico que Yuka promove uma ‘fusão de horizontes’ nessa tese que merece ser lida pelos amantes da Arte.

Peço licença a Yuka de Almeida Prado para reproduzir aqui um trecho do Prefácio, onde ela destaca a proposta de sua pesquisa:

Esta tese é um ensaio que tem como proposta o redimensionamento da fusão de horizontes das culturas ocidental e oriental através da canção de compositores brasileiros com a poética japonesa. Ela se constitui numa tentativa de abranger a arte do pensar, a arte do selecionar, a arte do elaborar, a arte do ser, a arte do deixar ser, a arte do ser outra coisa, a arte do desejar, a arte do querer, a arte do sentir, a arte do morrer e a arte do viver de forma coerente e integrada.

Já na Introdução da pesquisa, Yuka destaca a importância da poesia e da música:

A poesia vem em primeiro lugar na sequência, pois se trata do meio de expressão no qual se inspira o compositor. Sua música já é uma releitura da poesia. Talvez o compositor procurasse expressar aquilo que se encontra oculto na poesia, ampliando as reverberações poéticas da escrita. Muitas vezes, essa releitura eleva uma poesia, engrandecendo-a em suas dimensões.

Bem, mais que citações acadêmicas, convido a todos para conhecer um pouco da arte de Yuka de Almeida Prado por meio do vídeo abaixo, onde ela interpreta uma composição de Villa Lobos:

Então não vamos esquecer:

Data: 11 de dezembro de 2011 (domingo), às 15h

Local: Museu de Arte de São Paulo Assis
Chateaubriand (MASP) – Grande Auditório

Entrada gratuita

Um abraço!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: