“… a madeira quando morre, canta!” (João Nogueira e Paulo César Pinheiro)

Quarta-feira.

Volto para casa. É noite e o rádio do carro me convida a viajar em outras ‘paisagens sonoras’, onde posso escapar um pouco dos sons urbanos das buzinas no horário do ‘rush’. São dezenove horas e trinta minutos, e o apresentador Daniel Daiben na Sala dos Professores dá destaque para a canção ‘Nó na madeira’, de João Nogueira e Eugênio Monteiro.

João Nogueira

João Nogueira

Há dez anos o carioca João Nogueira deixou o cenário da música brasileira para viver noutras esferas, mas deixou-nos composições maravilhosas, fruto de parcerias com: Edil Pacheco, Maurício Tapajós e Aldir Blanc, e, principalmente com seu grande parceiro Paulo César Pinheiro, com quem fez eternas canções como: Espelho, Mineira, Guerreira , As forças da Natureza, Minha Missão, entre outras. Muitas de suas canções ficaram conhecidas na voz da cantora Clara Nunes.

Faço um convite aos que já conhecem, para que possam matar saudades e aos que não conhecem para que se abram à experiência de ouvir o samba de João Nogueira. Tenho certeza de que não irão se arrepender.

Inicialmente, procurei na rede, uma boa gravação para a canção ‘Nó na Madeira’. Dentre as opções do You Tube, destaco o áudio abaixo, pois considero uma boa gravação.

Escutem só…

Uma das canções que tenho ouvido muito é : ‘Minha Missão’. Destaco um vídeo onde João Nogueira canta no Pelourinho, Bahia. Neste vídeo, ele começa cantando a capela, e com sua voz forte deixa bem marcado o vigor e altivez da poesia dessa canção. Segue o vídeo :


Para finalizar, destaco abaixo a poesia da canção ‘Minha Missão’:

Minha missão (João Nogueira e Paulo César Pinheiro)

Quando eu canto
É para aliviar meu pranto
E o pranto de quem já
Tanto sofreu
Quando eu canto
Estou sentindo a luz de um santo
Estou ajoelhando
Aos pés de Deus
Canto para anunciar o dia
Canto para amenizar a noite
Canto pra denunciar o açoite
Canto também contra a tirania
Canto porque numa melodia
Acendo no coração do povo
A esperança de um mundo novo
E a luta para se viver em paz!

Do poder da criação
Sou continuação
E quero agradecer
Foi ouvida minha súplica
Mensageiro sou da música
O meu canto é uma missão
Tem força de oração
E eu cumpro o meu dever
Aos que vivem a chorar
Eu vivo pra cantar
E canto pra viver

Quando eu canto, a morte me percorre
E eu solto um canto da garganta
Que a cigarra quando canta morre
E a madeira quando morre, canta!

Um abraço!


Anúncios

3 Respostas to ““… a madeira quando morre, canta!” (João Nogueira e Paulo César Pinheiro)”

  1. Rodrigo Says:

    E seu filho, Diogo, vai pelo mesmo caminho, com talento herdado do pai.

  2. edison soares Says:

    viva joão nogueira´que belo espelho deixou para nos

  3. Sons do Éden Says:

    Obrigado por seguir o blog “Sons do Éden”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: