Archive for julho \30\UTC 2009

Caravana do Cordel

30/07/2009

rack-cordel_1213370309

Amig@s blogueir@s!

Convido a todos para participarem e prestigiarem a poesia popular com a Caravana do Cordel.

A Caravana do Cordel é um projeto coletivo, construído por poetas populares nordestinos radicados em São Paulo. No próximo dia 01 de agosto acontecerá o segundo encontro e será marcado por uma série de atividades, que incluem além da exposição e venda de cordéis, livros e CDs, também uma homenagem a dois ícones nordestinos: Luiz Gonzaga e Raul Seixas, nos 20 anos de morte completados em agosto. Na mesma ocasião serão lançados três folhetos de cordel: As Aventuras do Menino Jesus, de Benedita Delazzari, Chicó, o Menino das Cem Mentiras, de Pedro Monteiro (Luzeiro) e A Chegada de Michael Jackson no Portão Celestial, de João Gomes de Sá e Klévisson Viana. Os poetas: Varneci Nascimento, Cleusa Santo, Nando Poeta, Sebastião Marinho, Costa Senna & Grupo Universos, Marco Haurélio, Cacá Lopes, Jocélio Amaro, Toninho de Olinda, Moreira de Acopiara, Evânio Matos, Luiz Wilson, Cícero Pedro de Assis, confirmaram sua presença.

Data e Local:

Dia 01/08/2009 (sábado), às 19:00 h –

ESPAÇO CINECLUBISTA

RUA AUGUSTA – 1239 – CENTRO – (METRÔ CONSOLAÇÃO)

ENTRADA FRANCA

Um super abraço!

Anúncios

Música, poesia e sentimentos…

17/07/2009

Amig@s Blogueir@s,

No início deste mês, assisti a um espetáculo musical de uma interprete maravilhosa! Virgínia Rosa. Já faz algum tempo que conheço um pouco do trabalho de Virgínia Rosa, mas foi a primeira vez que assisti sua apresentação! Fiquei emocionada! Foi um espetáculo que quase não deixou a platéia ir embora, pois ela fez  três “saideiras” até o público se convencer de que era o momento de terminar. “O que é bom dura pouco….” deve ter sido o pensamento de muitos, mas com certeza: todos saíram irmanados na emoção…

O espetáculo intitulado “Baita Negão” apresentou o cd homônimo, que é uma pesquisa musical sobre um grande artista: Monsueto Meneses. Digo artista, pois Monsueto de Meneses, além de sambista, foi compositor, instrumentista, pintor e ator. Talvez algumas pessoas não conheçam ou não estejam associando o nome do artista à obra. Entretanto, Virginia Rosa nos apresentou várias canções, dentre as mais populares, destacou ‘Mora na Filosofia ‘ (gravada por Caetano Veloso), ‘Lamento da Lavadeira’ e ‘Me deixa em paz’, que foram apresentadas com graça e vivacidade,  tal qual as musas da música e da dança. Virgínia Rosa domina o palco com intimidade e desenvoltura, fruto de um intenso e persistente trabalho começado nos anos 80, com o músico Itamar Assumpção e a banda ‘Iscas de Polícia’.

Querid@s blogueir@s, eu não sou crítico(a) musical, e nem tenho competência para tanto. Porém, busco compartilhar aqui com vocês, a emoção e sentimentos que tive durante e depois do espetáculo. Para ter idéia disso, deixo um pequeno registro fotográfico que fiz:

Show Virgínia Rosa

Show Virgínia Rosa

Show de Virgínia Rosa

Virgínia Rosa nos autógrafos do cd "Baita Negão"

Virgínia Rosa autografando o cd "Baita Negão"

Convido a tod@s a visitarem o site de Virgínia Rosa, para conhecerem um pouco mais sobre ela, e clicarem aqui para assistir a uma matéria-músical em homenagem a Monsueto.

Compartilho com vocês um vídeo com Milton Nascimento e Alaíde Costa, interpretando a canção ‘Me deixa em paz’, de Monsueto.

Para finalizar, deixo a transcrição da música-poema: “Faz escuro, mas eu canto”, que na minha opinião é das mais belas e sensíveis canções do cd “Baita Negão”. É uma parceria ímpar entre Monsueto e o poeta Thiago de Mello. A música e o poema têm história, mas fica para uma outra próxima postagem…


Faz escuro, mas eu canto

(Monsueto Menezes e Thiago de Mello)

Inspirado no poema de Thiago de Mello: “Madrugada Camponesa”

Faz escuro, mas eu canto,
porque a manhã vai chegar.
Vem ver comigo, companheiro,
vai ser lindo
a cor do mundo mudar.
Vale a pena não dormir
para esperar
a madrugada cantar.
Já vem vindo o dia,
com a luz da liberdade,
vai lavar de amor o chão malvado.
Quem sofre fica acordado
defendendo o coração
Madrugada da esperança,
já estou vendo uma criança
trazendo a aurora na mão.

A tod@s, o meu super abraço!

Margarete Barbosa

Um pouco de dança…

03/07/2009

Olá, Amigos (as) Blogueiros (as)!

Não faz muito tempo, presenciei uma apresentação de Dança Circular no Parque da Luz. Algumas pessoas trouxeram sua pequena aparelhagem de som e alguns CDs, com músicas selecionadas. Então, formaram um círculo e juntos iniciaram a Dança. Mas não é apenas mais uma dança. É a dança com o Universo… São pessoas de diversas origens que se irmanam na Música e na Dança, e juntas comungam a Energia do Universo e vibram pela Harmonia do Planeta e dos Seres Humanos. Para além de qualquer orientação espiritualista, as pessoas se reúnem para celebrar o Humano. É interessante notar que a palavra: humano, vem de húmmus, a Terra. Assim verifico que na Dança Circular ocorre a união do Universo, do Cosmos (macro e micro) com a Terra.

Fiquei tão extasiada que escrevi o parágrafo acima e registrei em fotos alguns dos momentos, que compartilho neste blog com vocês.


dança circular-pq luz 004


dança circula

Ao chegar em minha casa, busquei informações sobre a Dança Circular (e temas afins) e comecei a elaborar um pequeno texto, que embora não esteja acabado, compartilho aqui, no Blog, e convido aos blogueiros e blogueiras a deixar sugestões para melhorá-lo. Segue o texto abaixo:

O circulo é a representação da perfeição, do céu e do universo e indica a atividade e os movimentos cíclicos de ambos, além de simbolizar os ciclos da natureza, segundo o “Dicionário de Símbolos” de Jean Chevalier e Alain Gheerbrant.

O psicólogo suíço Carl Jung, também viu no símbolo do círculo a representação da psique. No seu livro “O homem e seus símbolos” Jung diz que “a psique pode ser comparada a uma esfera (…) O self é, a um tempo, o núcleo e a esfera inteira (…)”.

Ainda no “Dicionário de Símbolos” encontramos que “dança é celebração, a dança é linguagem”. Como linguagem corporal a Dança é desenvolvida na disciplina de Educação Física. Como linguagem artística e estética será enfatizada na disciplina de Arte, no Ensino Fundamental, de acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais da Educação. As duas disciplinas trabalham com a dança visando a um desenvolvimento integral do ser humano, dessa forma elas se complementam.

Sabe-se que a arte da dança faz parte das culturas humanas e sempre integrou o trabalho, as religiões e as atividades de lazer. Para alguns povos a dança é uma das formas do homem se conectar com as forças da natureza.

Estudiosos como o chileno Rolando Toro, que desenvolveu a Biodanza, nos diz: “a dança é uma das condições inatas do ser humano, assim como canto e o grito. Num sentido original, a dança surge das profundezas do interior do ser humano: é movimento de vida, de intimidade; é impulso de união à espécie.”

Conforme estas definições e orientações sobre a dança e sobre o círculo, podemos dizer que a Dança Circular busca integrar o ser humano à natureza, à vida, busca desenvolver não somente a expressão corporal, mas também outras dimensões, como a emocional, intelectual e espiritual.

Mas, o mais interessante e bacana de tudo isso é que podemos ter acesso à Dança Circular e melhorar nossa qualidade de vida. Como? Nos Parques da Cidade de São Paulo. Pois é, amigos (as) blogueiros(as), a Dança Circular acontece periodicamente em alguns espaços abertos e Parques em São Paulo. O grupo Semeia Dança vem se apresentando, e é só acessar aqui para saber os locais e as atividades desenvolvidas.

Um super abraço em todos!